terça-feira, 16 de dezembro de 2014

POESIA DE CORDEL DE BARROQUINHA - 2º LUGAR NO PRÊMIO PETECA 2014

O menino sonhador

Laisenete Severiano Brito 

Eu vou contar uma história
De um menino sonhador
Que morava numa fazenda
Com sua avó e seu avô
Uma criança comum,
Sonhava em ser doutor.

Logo de manhã cedinho
Saia pra trabalhar
Com uma enxada na mão
Para a roça capinar,
No meio daquele sol
Sonhava em estudar

Seu trabalho cansativo
Deixava marcas nas mãos,
E ao entardecer
Sofria de exaustão
Assim acabava o dia
Cansada de pés no chão.

Um dia indo ao trabalho
Achou um livro no chão
Cheio de curiosidade
Tomou-o em suas mãos
Foi como achar um tesouro,
Um caminho, a salvação


Ao folhear suas páginas
Uma chamou-lhe atenção
O título ele mal leu
Mas tocou seu coração
“Criança tem que ir a escola,
Chega de exploração!”

Ali ele descobriu
Que devia estudar,
Era um direito seu
Ninguém podia negar.
Trabalhar, só no futuro
Depois de se preparar.

Chegando a sua casa
Contou tudo ao seu avô
Sentiu uma tristeza
Um olhar de pura dor
Depois que as lágrimas caíram
Sua história ele contou:

 -Eu era igual a você
Um menino sonhador
Mas vendo a realidade
Meu sonho logo acabou.
Como freqüentar a escola
Sendo eu um lavrador?

Segui minha vida assim
Meu sonho ficou pra traz
Mas não desejo a você
Peço-lhe que corra atrás
De tudo que você almeja
Sei que você é capaz.

Ouvindo essas palavras
O menino se animou
Queria ir logo à escola
Pediu ao seu avô,
Que lhe matriculasse logo
Tinha pressa em ser doutor.

Na escola aprendeu
A ser um cidadão
Viu que  sonhos são possíveis
Mas requer dedicação.
E mesmo estando na escola
Pensava na plantação.

Muito grato a seu avô
Por toda a compreensão
Lamento na sua vida
não ter tido condição,
E hoje trabalha duro

Pra manter sua criação.
Na escola fez amigos
E muita coisa aprendeu
Entre uma dessas coisas
O PETECA conheceu
Pensou em outras crianças
Lembrou do que já sofreu.

Decidiu então buscar
Ajuda pra essa gente
Se a criança trabalhasse
Chamava os seus parentes
Lhe falava do PETECA
Tornou-se um dos seus agentes

Os anos ali passaram
Seu estudo terminou
Agora se preparava
Pra se tornar um doutor
E pra longe de sua terra
O menino viajou

Freqüentou a faculdade
Num médico se transformou
E em meio às dificuldades
Seu sonho realizou.
Mas lembrava todo dia
Do seu querido Avô.




E.E.F.  Carmelita Veras de Paula
8º Ano “A”
Professora Orientadora:   
Anelisa Carvalho Fontenele

Nenhum comentário:

Postar um comentário