domingo, 31 de maio de 2020

O MISTÉRIO DA FÁBRICA DE LIVROS (Resenha de Joao Victor Souza Veras)


O livro relata a história de uma menina chamada "Laurinha" começa com a história do seu primeiro amor, Adriano também fala de várias etapas na produção de um livro. Laurinha logo depois da escola vai até um bosque, lá tinha uma das suas melhores lembranças onde Adriano desenhou com um canivete as iniciais (A e L) dentro de um coração com uma flecha atravessada ele apresentou Laurinha com uma árvore de eucalipto e desde então passou a ser seucalipto.


Laurinha começou a sonhar com aquele momento a qual jamais iria esquecer, teve a grande decepção que seu amor encontrou outra pessoa com as mesmas iniciais logo a menina pensou que ele daria seucalipto para a menina, Laurinha saiu correndo a procura da árvore,e quando  de repente chegou no bosque encontrou troncos e pilhas de madeira a menina muito assustada não precisou procurar muito na primeira pilha encontrou o seucalipto, com as iniciais lado a lado.


Os homens que derrubaram todas aquelas árvores volaram do almoço Laurinha dirigiu- se a eles e perguntou .


— Porque vocês derrubaram todas essas árvores?


Eles responderam:

— as árvores foram derrubadas para fazer papel e para uma árvore cortada duas eram plantadas e que também eram para ser feito lápis, papéis e até mesmo borrachas.


A menina muito curiosa foi conhecer a fábrica de livros. Chegando lá conheceu o senhor Wilson ela lhe fez um pedia a qual que  queria que ele fabricase um livro para ela e com o papel q ele acabaria de receber!, Mas o homem explicou a menina q ele não fabricava livros e q isso era um mistério.


Então seu Wilson pediu para ela fazer o texto do seu livro e que ele iria mostrar para um colega, para fazer um livro ela iria precisar de uma gráfica e uma editora ela seguido em frente e iria precisar de um autor.


Laurinha seguiu em frente e lá estava o escritor para seu livro a menina contou tudo para o senhor o que havia acontecendo com ela falou do seu primeiro amor e do seucalipto o escritor ficou espantado e em fim Laurinha tinha seu livrinho quase feito agora pressisaria de um ilustrador o homem pegou seus materiais de pintura e não levou muito tempo e ela também tinha seus desenhos em mão.

A menina conheceu mais uma magia a dos computadores como cada letra era colocada nos livros página por página e a menina também queria entender como era que tirava foto do livro e  ficou muito curiosa mais seu amigo  explicou que o nome era fotolitos logo a menina descobriu que tem que sujar os papéis de tinta para eles serem imprimidos e ilustrados e vivam os livros quase terminando faltava apenas dobrar, costurar e colar a menina fez tudo isso com a ajuda de suas colegas. Livro feito Laurinha agradeceu seus amigos e Laurinha abraçou o livro como se fosse seu primeiro amor e percebeu a que era seucalipto que estava em suas mãos. 

Laurinha correu para a casa de Adriano mais teve uma decepção quem a recebeu foi Lúcia a Laurinha saiu correndo e deixou o livro cair, Adriano leu o livro e foi atrás de Laurinha e lhe explicou que Lúcia era sua irmã  a menina percebeu que  nunca que  tinha acontecido nada e que tudo isso era feito de sua imaginação. E assim o livro termina.

Indico o livro para todo o público livro ótimo amei bem diferente recomendo

Joao Victor Souza Veras tem 13 anos e estuda o 8º ano do Ensino Fundamental na Escola Antônio de Souza Barros, no Município de Ararendá-CE.



O Mistério da Fábrica de Livros (Pedro Bandeira)

Resenha de João Victor Souza Veras*

O livro relata a história de uma menina chamada "Laurinha" começa com a história do seu primeiro amor, Adriano também fala de várias etapas na produção de um livro. Laurinha logo depois da escola vai até um bosque, lá tinha uma das suas melhores lembranças onde Adriano desenhou com um canivete as iniciais (A e L) dentro de um coração com uma flecha atravessada ele apresentou Laurinha com uma árvore de eucalipto e desde então passou a ser seucalipto.


Laurinha começou a sonhar com aquele momento a qual jamais iria esquecer, teve a grande decepção que seu amor encontrou outra pessoa com as mesmas iniciais logo a menina pensou que ele daria seucalipto para a menina, Laurinha saiu correndo a procura da árvore,e quando  de repente chegou no bosque encontrou troncos e pilhas de madeira a menina muito assustada não precisou procurar muito na primeira pilha encontrou o seucalipto, com as iniciais lado a lado.


Os homens que derrubaram todas aquelas árvores volaram do almoço Laurinha dirigiu- se a eles e perguntou .


— Porque vocês derrubaram todas essas árvores?


Eles responderam:

— as árvores foram derrubadas para fazer papel e para uma árvore cortada duas eram plantadas e que também eram para ser feito lápis, papéis e até mesmo borrachas.


A menina muito curiosa foi conhecer a fábrica de livros. Chegando lá conheceu o senhor Wilson ela lhe fez um pedia a qual que  queria que ele fabricase um livro para ela e com o papel q ele acabaria de receber!, Mas o homem explicou a menina q ele não fabricava livros e q isso era um mistério.


Então seu Wilson pediu para ela fazer o texto do seu livro e que ele iria mostrar para um colega, para fazer um livro ela iria precisar de uma gráfica e uma editora ela seguido em frente e iria precisar de um autor.


Laurinha seguiu em frente e lá estava o escritor para seu livro a menina contou tudo para o senhor o que havia acontecendo com ela falou do seu primeiro amor e do seucalipto o escritor ficou espantado e em fim Laurinha tinha seu livrinho quase feito agora pressisaria de um ilustrador o homem pegou seus materiais de pintura e não levou muito tempo e ela também tinha seus desenhos em mão.

A menina conheceu mais uma magia a dos computadores como cada letra era colocada nos livros página por página e a menina também queria entender como era que tirava foto do livro e  ficou muito curiosa mais seu amigo  explicou que o nome era fotolitos logo a menina descobriu que tem que sujar os papéis de tinta para eles serem imprimidos e ilustrados e vivam os livros quase terminando faltava apenas dobrar, costurar e colar a menina fez tudo isso com a ajuda de suas colegas. Livro feito Laurinha agradeceu seus amigos e Laurinha abraçou o livro como se fosse seu primeiro amor e percebeu a que era seucalipto que estava em suas mãos. 

Laurinha correu para a casa de Adriano mais teve uma decepção quem a recebeu foi Lúcia a Laurinha saiu correndo e deixou o livro cair, Adriano leu o livro e foi atrás de Laurinha e lhe explicou que Lúcia era sua irmã  a menina percebeu que  nunca que  tinha acontecido nada e que tudo isso era feito de sua imaginação. E assim o livro termina.

Indico o livro para todo o público livro ótimo amei bem diferente recomendo

Joao Victor Souza veras tem 13 anos e estuda o 8º ano do Ensino Fundamental na Escola Antônio de Souza Barros, no Município de Ararendá-CE.


O Mistério da Fábrica de Livros (Pedro Bandeira)

Resenha de João Victor Souza Veras*


O livro relata a história de uma menina chamada "Laurinha" começa com a história do seu primeiro amor, Adriano também fala de várias etapas na produção de um livro. Laurinha logo depois da escola vai até um bosque, lá tinha uma das suas melhores lembranças onde Adriano desenhou com um canivete as iniciais (A e L) dentro de um coração com uma flecha atravessada ele apresentou Laurinha com uma árvore de eucalipto e desde então passou a ser seucalipto.


Laurinha começou a sonhar com aquele momento a qual jamais iria esquecer, teve a grande decepção que seu amor encontrou outra pessoa com as mesmas iniciais logo a menina pensou que ele daria seucalipto para a menina, Laurinha saiu correndo a procura da árvore,e quando  de repente chegou no bosque encontrou troncos e pilhas de madeira a menina muito assustada não precisou procurar muito na primeira pilha encontrou o seucalipto, com as iniciais lado a lado.


Os homens que derrubaram todas aquelas árvores volaram do almoço Laurinha dirigiu- se a eles e perguntou .


— Porque vocês derrubaram todas essas árvores?


Eles responderam:

— as árvores foram derrubadas para fazer papel e para uma árvore cortada duas eram plantadas e que também eram para ser feito lápis, papéis e até mesmo borrachas.


A menina muito curiosa foi conhecer a fábrica de livros. Chegando lá conheceu o senhor Wilson ela lhe fez um pedia a qual que  queria que ele fabricase um livro para ela e com o papel q ele acabaria de receber!, Mas o homem explicou a menina q ele não fabricava livros e q isso era um mistério.


Então seu Wilson pediu para ela fazer o texto do seu livro e que ele iria mostrar para um colega, para fazer um livro ela iria precisar de uma gráfica e uma editora ela seguido em frente e iria precisar de um autor.


Laurinha seguiu em frente e lá estava o escritor para seu livro a menina contou tudo para o senhor o que havia acontecendo com ela falou do seu primeiro amor e do seucalipto o escritor ficou espantado e em fim Laurinha tinha seu livrinho quase feito agora pressisaria de um ilustrador o homem pegou seus materiais de pintura e não levou muito tempo e ela também tinha seus desenhos em mão.


A menina conheceu mais uma magia a dos computadores como cada letra era colocada nos livros página por página e a menina também queria entender como era que tirava foto do livro e  ficou muito curiosa mais seu amigo  explicou que o nome era fotolitos logo a menina descobriu que tem que sujar os papéis de tinta para eles serem imprimidos e ilustrados e vivam os livros quase terminando faltava apenas dobrar, costurar e colar a menina fez tudo isso com a ajuda de suas colegas. Livro feito Laurinha agradeceu seus amigos e Laurinha abraçou o livro como se fosse seu primeiro amor e percebeu a que era seucalipto que estava em suas mãos. 

Laurinha correu para a casa de Adriano mais teve uma decepção quem a recebeu foi Lúcia a Laurinha saiu correndo e deixou o livro cair, Adriano leu o livro e foi atrás de Laurinha e lhe explicou que Lúcia era sua irmã  a menina percebeu que  nunca que  tinha acontecido nada e que tudo isso era feito de sua imaginação. E assim o livro termina.

Indico o livro para todo o público livro ótimo amei bem diferente recomendo

Joao Victor Souza veras tem 13 anos e estuda o 8º ano do Ensino Fundamental na Escola Antônio de Souza Barros, no Município de Ararendá-CE.

segunda-feira, 18 de maio de 2020

18 DE MAIO: DESAFIOS DA REDE DE PROTEÇÃO PARA PREVENIR A VIOLENCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM TEMPOS DE PANDEMIA


Neste 18 de maio milhares de profissionais da rede de proteção de o Brasil estão engajados na campanha Faça Bonito, que tem por objetivo prevenir e combater a violência sexual contra crianças e adolescentes. Apesar de todos reconhecerem essa atrocidade como uma grave violação dos direitos humanos de crianças e adolescentes, ainda são assustadores os dados estatísticos da violência sexual no Brasil,  principalmente nas modalidades abuso e exploração sexual, que correspondem, respectivamente,  a 80% e 20% do problema, aproximadamente.
O abuso e a exploração são espécies do gênero violência sexual. O que os  diferencia é o fato de haver, no segundo crime, uma relação de troca, em que vítima, ou um intermediário, recebe do explorador algum pagamento ou promessa de pagamento em dinheiro, presentes, viagens, ou outro bem ou serviço.

Sobre o abuso sexual, o combate é mais difícil porque a maioria dos abusadores conviverem com as vítimas, impedindo-as de denunciarem o crime com ameaças e/ou violências físicas, morais e psicológicas. Nesse período de pandemia, o problema ainda é mais grave, pois os abusadores ficam mais tempo com as crianças. Na maiorias dos casos, são pais, padrastos, avós, irmãos, tios, primos, dentre outros parentes, além de vizinhos e amigos. Embora a maioria sejam meninas, muitos meninos fazem parte dessa estatística das vítimas. No tocante aos abusadores, a grande maioria é do sexo masculino, mas também há muitos registros de mulheres que praticam esse crime.
Quanto à exploração sexual é preciso destacar que, além de ser crime, é também uma das piores formas de trabalho infantil previstas na Convenção 138 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e no Decreto n° 6481/2008. 
Diante das alarmantes estatísticas de violência sexual, e das dificuldades enfrentadas pela rede de proteção para combater esse mal, principalmente nesse período de pandemia, em que as políticas públicas, programas, projetos e ações de promoção dos direitos e de combate às violações desses direitos se encontram limitados, é cada vez mais necessário trabalhar as ações de prevenção, através da conscientização das crianças, adolescentes e suas famílias, para identificar os sinais de violências sexual, pois muitos ainda não conseguem perceber alguns comportamentos e atitudes caracterizadoras do abuso sexual.
Com esse objetivo, o Ministério Público do Trabalho (MPT) vem realizando, através do Programa de Educação contra a Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Peteca), constantes ações de  mobilização e capacitação da rede de proteção para prevenir e combater a violência o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes, em parceria com a Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará (APDMCE), Estado do Ceará e seus municípios, através das Secretarias de Educação, Assistência Social, Saúde, Conselhos Tutelares e Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente, além do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e dos Comitês de Adolescentes pela Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil, dentre outros órgãos do Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente. 


sábado, 16 de maio de 2020


DESAFIO PETECA LITERÁRIO

ESCOLA ANTÔNIO JULIÃO NETO

ALUNA: JOANE TEXEIRA GOMES

7º ANO A

PROFª: SOLANGE GONZAGA

RESENHA : O CASO DA BORBOLETA ATÍRIA DE LÚCIA MACHADO DE ALMEIDA  

 

    O livro conta as aventuras vividas por uma frágil borboleta numa mistura de fábulas com conto de fadas e muito mistério. Tudo começa com o processo de metamorfose da borboleta Atíria, que não conseguia voar muito bem por causa de um defeito na asinha. Uma Jitiranoboia que a observava, ficou com pena daquela frágil e indefesa criatura e resolveu adotá-la.  Atíria gostava muito de ajudar as pessoas, era bondosa, amorosa e não tinha maldade.

     Tudo ocorria bem na floresta até que as noivas do príncipe grilo (Helicônia e Vanessa) sumiram misteriosamente. O detetive Papílio começou a investigar o acontecimento e não conseguia descobrir nada porque Caligo, que estava sempre com ele se fingindo de amiga, dificultava as coisas. Nessas viagens pela floresta o príncipe conheceu Atíria e ficou encantado. Então ela começou a ser perseguida por Caligo que queria acabar com ela, o príncipe e tomar o reino. Numa tarde, ao voltar do hospital onde  tinha ido visitar os doentinhos, Atíria caiu nas armadilhas na terrível Caligo, que levou a coitada para uma gruta cheia de perigos e inimigos violentos.

     Ao mesmo tempo, o detetive Papílio já tinha descoberto várias pistas da culpada do sumiço de Helicônia. Vanessa contou para o príncipe Grilo e, na mesma hora, ele reuniu todos os insetos para ir punir a malvada. Com muitas dificuldades entraram na gruta e enfrentaram inimigos assustadores como: lagarta de fogo, tarântulas, lacraias, plantas carnívoras, mas no final o bem venceu. Podemos tirar um ensinamento para nossas vidas: Os seres humanos também fazem mal aos outros, por isso devemos ter cuidado com quem confiamos.


terça-feira, 12 de maio de 2020

O Ministério da Fábrica de Livros - Resenha de Luana da Silva Souza

Laurinha estava no bosque triste chorando pois foi ali que aconteceu seu primeiro beijo, com seu primeiro amor. O choro, porque a árvore de eucalipto onde estavam gravados as iniciais de seus nomes A e L (Adriano e Laurinha) foi cortada. A procura de uma explicação, ela encontra um homem, que conta que essas madeiras seriam transformadas em papel, então ele levou-a para conhecer a fábrica. Chegando lá Aurélio mostrou a Laurinha toda a fábrica e o processo de fabricação do papel.  No final da visita, ela resolve escrever um livro, e então ela é encaminhada a um autor, que escreve sua história e depois a um ilustrador, que fez imagens maravilhosas para o livro. Quando tudo estava pronto, ela escolheu as formas do livro e tamanhos. Após as impressões, Laurinha decide ir entregar um livro para Adriano, mas quando chega na casa dele, quem abre a porta é Lúcia, e então, imaginando coisas erradas, ela deixa o livro cair e sai chorando. No dia seguinte, na escola, Adriano explica para ela que Lúcia é sua irmã. Toda envergonhada ela pede desculpas, e ganha um beijo.
Projeto Peteca Literário. Resenha do Livro O Ministério da Fábrica de Livros, de Pedro Bandeira, por Luana Da Silva Souza , 16 anos , aluna do 9º ano da Escola de Ensino Fundamental Geraldo Gonçalves do Nascimento Júnior, do Município de Senador Pompeu-CE.

O Ministério da Fábrica de Livros - Resenha de Luana da Silva Souza


Laurinha estava no bosque triste chorando pois foi ali que aconteceu seu primeiro beijo, com seu primeiro amor. O choro, porque a árvore de eucalipto onde estavam gravados as iniciais de seus nomes A e L (Adriano e Laurinha) foi cortada. A procura de uma explicação, ela encontra um homem, que conta que essas madeiras seriam transformadas em papel, então ele levou-a para conhecer a fábrica. Chegando lá Aurélio mostrou a Laurinha toda a fábrica e o processo de fabricação do papel.  No final da visita, ela resolve escrever um livro, e então ela é encaminhada a um autor, que escreve sua história e depois a um ilustrador, que fez imagens maravilhosas para o livro. Quando tudo estava pronto, ela escolheu as formas do livro e tamanhos. Após as impressões, Laurinha decide ir entregar um livro para Adriano, mas quando chega na casa dele, quem abre a porta é Lúcia, e então, imaginando coisas erradas, ela deixa o livro cair e sai chorando. No dia seguinte, na escola, Adriano explica para ela que Lúcia é sua irmã. Toda envergonhada ela pede desculpas, e ganha um beijo.
Projeto Peteca Literário. Resenha do Livro O Ministério da Fábrica de Livros, de Pedro Bandeira, por Luana Da Silva Souza , 16 anos , aluna do 9º ano da Escola de Ensino Fundamental Geraldo Gonçalves do Nascimento Júnior, do Município de Senador Pompeu-CE.

Atividades sobre o livro O Mistério da Fábrica de Livros, de Pedro Bandeira - Projeto Peteca Literário

Atividades sobre o Livro o Mistério da fábrica de livros, Pedro Bandeira
Projeto Peteca Literário – avaliação – 1º bimestre

Centro Educacional de Ensino Fundamental Professor Benjamin Cavalcante (Município de Tianguá-CE).
Diretora: Francinete Ramos Dias Cardoso
Coordenadora: Maria Izaura Magalhães Cunha
Professora: Aurita de Meneses Aguiar


1. Ficha técnica do livro.


a) Qual o Título do livro?
b) Qual é a editora?
c) Ano de publicação da edição que você leu?
d) Qual foi o ano da primeira publicação desse livro?
e) Quantos capítulos tem?


2.Sobre os autores.

a) Quem escreveu a história?
b) Quem ilustrou a história?


3. Vocabulário.

a) Eucalipto
b) cerrou / cerrar
c) extinção
d) celulose
e) entalhado
f) resina
g) oxigenação
h) fotolito


4. Faça o resumo da história em no mínimo 5 e no máximo 10 linhas.

5. Sua opinião é muito importante para ter certeza de que você entendeu a história do livro.


a) Por que você acha que o título sugere um mistério?
b) Se pudesse mudar o final do enredo (conteúdo), o que você mudaria?
c) Você acha que o autor direcionou este livro algum tipo de público, qual seria?
d)Quantos anos você acha que Laurinha tem e por quê?
e) Por que os casais apaixonados escrevem suas iniciais em papeis ou em árvores ?


6. Estudo de texto. 

a) Quem é a protagonista da história?
b)Por quem ela estava apaixonada?
c) Quais personagens aparecem na história que são fantasiosos, considerados não-reais?
d) Por que Laurinha está tão triste no começo do livro?
e) Qual o papel do anjinho na história?
f) Qual o destino do eucalipto?
g) O que acontece com Laurinha na fábrica?
h) Como Laurinha começou a produzir o livro? Como ela fez?
i) Laurinha e Adriano terminam a história juntos ou separados?

Desafios presentes para o enfrentamento ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes


segunda-feira, 11 de maio de 2020

Depois daquela viagem - resenha de Luana Alencar


O livro conta a história de vida da própria autora "Valeria Polizzi". Era uma garota de apenas 16 anos e namorava um cara bem mais velho com 25 anos, onde vivia um relacionamento abusivo cheio de ciúmes e violência. 

Valéria era uma garota desinformada sobre doenças sexualmente transmissíveis, pois bem não tinha contato com a tecnologia e nunca conversavam ou era informada sobre tais coisas. Ela aceitou quando o namorado quis relações sexuais sem o uso de preservativos, em sua cabeça, as únicas que precisavam usar os métodos preventivos seriam "Putas" e ela não era puta. Ela terminou com o cara e depois de 2 anos do fim desse namoro, se descobriu com o vírus AIDS, no livro ela fala do sofrimento e desespero dela e de seus pais ao saberem o resultado dos exames, diante disso ela começou a sentir medo de encarar outras pessoas e principalmente seus amigos e o restante dos familiares, temia que eles descobrissem ou tivessem contato com o seu sangue, a moça conviveu durante 2 anos com os seus medos, temia também o fato de ter um namoro sério.

Ela terminou o ensino médio, foi para uma faculdade e desistiu. Depois disso ela foi para os Estados Unidos para fazer um curso de teatro, onde aprendeu a viver sozinha e até fazer novos amigos, mas ainda convivia com o seu medo de falar que era portadora de HIV.

Valéria começou a ter problemas de saúde, a jovem procurou um médico e informou a ele tudo o que se passava com ela, a parti daí ela descobriu que existiam tratamentos e que sua doença poderia ser controlada através de medicamentos, ela resistiu por algum tempo ao seu tratamento, na cabeça dela estava esperando a morte. Graça ao seu médico que a incentivava colocando-a em contato com pessoas que possuíam a doença e viviam normalmente, ela resolveu se cuidar usando as medicações.

Quando voltou para o Brasil sua saúde piorou, ela passou por alguns dias internada em um hospital e foi nesse momento que resolveu contar sobre tudo o que se passava com ela aos seus amigos e familiares, e aconteceu muito pelo contrário o que ela tanto imaginava, eles a apoiaram e ela percebeu que deveria levar sua vida adiante, sem o medo de encarar as pessoas, pelo fato do que eles iriam falar.

Valéria nos ensina que mesmo pelo tamanho do medo e da dor, que mesmo tudo o que passamos seja constante, não devemos parar de viver e criar coisas em nossas cabeças, porque sempre podemos nos surpreender e que nunca é como imaginamos.

Francisca Luana Ferreira de Alencar, 15 anos, é aluna do 9º ano do Ensino Fundamental Escola Antonio Ângelo da Silva, do Município de Assaré-CE. A presente resenha foi realizada como uma atividade do Projeto Peteca Literária.


domingo, 10 de maio de 2020

O Caso da Borboleta Atíria (resenha de Bianca Alves Firmino de Oliveira)

Projeto Peteca Literário. Resenha do Livro o Caso da Borboleta Atíria, de Lúcia Machado de Almeida. Resenha de Bianca Alves Firmino de Oliveira, 12 anos, aluna do 7º ano A, da Escola Dom Quintino, no Município de Crato-CE. 
           

sexta-feira, 8 de maio de 2020

Live vai debater o enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes em tempos de pandemia


Transmissão ao vivo será realizada no dia 15 de
maio, 17h, no canal do TRT11 no youtube
O Comitê  do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região – Amazonas e Roraima (TRT11), em parceria com o comitê do TRT8 (Pará e Amapá), promove a live “Enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes em tempos de pandemia da Covid-19” no dia 15 de maio, às 17h, pelo canal do TRT11 no youtube.



A ação tem como proposta debater as estratégias de enfrentamento à exploração e proteção a esse segmento da população, num contexto de distanciamento social e confinamento compulsório. A iniciativa também é alusiva ao mês de Combate ao Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, e que tem o 18 de Maio como Dia Nacional da mobilização.



A live terá como debatedoras a presidente do Instituto de Assistência à Criança e Adolescente Santo Antonio (IACAS) e integrante da ECPAT Brasil, Amanda Cristina Ferreira; e a juíza de Direto titular da 1ª Vara de Crimes contra Crianças e Adolescentes do Tribunal de Justiça do Pará, Mônica Fonseca.



A desembargadora do TRT11 Joicilene Jerônico Portela, gestora regional do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem do TRT11, será a mediadora e apresentadora. A live vai contar, ainda, com a participação especial da desembargadora do TRT8 Maria Zuíla Dutra, gestora nacional do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e Estímulo à Aprendizagem da Justiça do Trabalho.



Para acompanhar a transmissão ao vivo, basta acessar o endereço www.youtube.com/trt11r, no dia e horário da live.



Campanha Faça Bonito

A proposta anual da campanha, que nesse ano comemora o 20º ano de mobilização, é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes, garantindo o direito ao seu desenvolvimento de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.



A campanha também lembra que em 2020 o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) completa 30 anos e o Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, 20 anos.



Como denunciar

O Disque Direitos Humanos, ou Disque 100, é um serviço que recebe denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes. O canal funciona diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. As ligações podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem gratuita, de qualquer terminal telefônico fixo ou móvel (celular), bastando discar 100.



As denúncias recebidas são analisadas e encaminhadas aos órgãos de proteção, defesa e responsabilização, de acordo com a competência e as atribuições específicas, priorizando o Conselho Tutelar como porta de entrada, no prazo de 24 horas, mantendo em sigilo a identidade da pessoa denunciante.



Também é possível efetuar as denúncias pelo 190 da Polícia Militar e pelos telefones da Delegacia Especializada (92) 3656-8575/7445.

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Garotas de Vidro - Peteca Literário




Garotas de Vidro - A verdade nem sempre é o que enxergamos.







Autora: LAURIE HALSE ANDERSON









O livro já inicia com o transpasse de uma jovem de 19 anos, chamada Cassie, encontrada morta no quarto de um motel. Cassia e Lia eram melhores amigas. As duas desenvolveram anorexia e bulimia. Antes de sua morte Cassie ligou 33 vezes para Lia, mas ela não atendera. Lia ao receber a notícia vai de encontro ao celular, onde ouve as mensagens de voz, todas pedindo ajuda.

A história é explanada em primeira pessoa, não podendo esquecer que ela esta no ponto de vista de Lia.

Lia e Cassie quando pequenas, fizeram um pacto de sangue, uma aposta para vê quem ficaria mais magra, tornando- as reféns de seu próprio corpo. O livro, mostra claramente sua obsessão em contar as calorias dos alimentos. Durante o percurso da história, Lia não consegue lidar com o fantasma da morte da amiga e nem esquecer das trinta e três ligações, que as fazem ter vários questionamentos não respondidos.

Em um dia, como todos os outros, Lia recebe a ligação de um rapaz chamado Elijah, diretamente de Gateway Motel, onde sua amiga morrera, ele pede que ela vá ao seu encontro pois tem algo para falar, Lia vai, mas percebe que não estar preparada para ouvir. A situação nada fácil na vida da adolescente, faz com que ela se automutile durante o decorrer da história. Mas, chegara o dia do funeral ,junto a ele, o fantasma de Cassie(você se surpreenderá, quando descobrir que é realmente um fantasma) pronta para levar consigo, Lia. Durante a narrativa, isso a persegue, originando todo um conflito. Ela esta se afundando em seus pensamentos, os sentimentos da personagem são expressos intensamente, possuindo metáforas, obrigando o leitor a entrar na mente da personagem, para compreender o que ela sente.

Após a crise de intoxicação alimentar, briga com seu pai, que também envolve sua mãe e sua madrasta, logo a situação vira uma bola de neve, deixando-a transtornada. E mediante a esse cenário, a causa a induz pegar uma faca, com a lâmina afiada para que comece um corte quase profundo, pela a qual inicia de seu pescoço, descendo para debaixo do coração, formando uma linha em suas duas costelas. Em seguida é direcionada ao hospital. Ao parecer de Lia “Fazer pequenos cortes na pele permitiria que a maldade e a dor vazassem, cortar a dor era um diferente sabor de dor”.

Consequentemente, esta situação levou os pais de Lia a crerem que precisava interna-la. Todavia Lia resiste e foge do hospital ao encontro de Elijah para que ajude-a. Contudo, ele se recusa, pois ela teria de enfrentar sozinha seus próprios medos, e o fantasma de Cassie. Finalmente Lia consegue se livrar do que lhe aprisiona, e torna a lembrar que a vida não está repleta de coisas ruins, pois sempre terão momentos que gostaria de reviver uma outra vez. Lia aceita ajuda de seus pais para que seja internada, e com resiliência, melhora da anorexia mostrando que a verdade nem sempre é o que enxergamos.



Considerações Finais



A anorexia, bulimia e automutilação, são coisas não visíveis aos nossos olhos, porém presente na vida de vários adolescente. Eu recomendo este livro a todo leitor que passa por algo parecido. Fique ciente que você precisa de ajuda e que sempre terá pessoas com quem possa contar e não importa qual seu nome, cor, beleza, peso ou qualquer que seja seu problema, se você se esforçar, será apto para enfrentar qualquer obstáculo.



Por Ketlem Mendes, 14 anos, de Paracuru

Extraordinário - resenha de Isabella Caravalho Nascimento

domingo, 26 de abril de 2020

Resenha do Livro "Extordinário, de R.J Palácio

 Na próxima terça-feira, 28 de abril, será realizado o I Desafio Peteca Literário, transmitido na pagina oficial do projeto no Facebook. No período de 15 a 28 de abril, centenas de crianças, adolescentes e jovens leram pelo menos um dos quatro livros indicados pelo projeto.  

 Os estudante Ana Ingrid Lima de Souza e (Ocara-CE),  relatam, nos textos abaixo, um pouco do que compreenderam sobre a hitória do livro "Extraordinário", de R.J. Palácio.  


EXTRAORDINÁRIO 

Resenha de Ana Ingrid Lima de Souza



Esse texto chamou muito minha atenção, porque o garoto reconhecia que sua família não o achava comum, lhe achava extraordinário, mais também teve a parte que não gostei quando ele andava na rua e as pessoas fingiam que olhavam pra outro lado.



Esse texto é muito bom além de ser comovente também é de superação de uma criança que sofreu muito além de ter feito 27 cirurgias por causa de sua aparência ainda sofreu vários preconceitos. E isso me deixou muito triste, mais ao mesmo tempo alegre, pois no final ficou tudo bem. 



Eu também assisti o filme deste livro e também gostei e por isto  que tirei uma lição de moral e decidir trazer para o texto, a minha lição de moral é;  “Não devemos nem criticar as pessoas pela a aparência por fora sem conhecer o interno” e nem desperdiça a amizade de alguém só por causa de sua aparência sem conhecer o ser sofrimento.

Enviado pela estudante Ana Ingrid Lima de Souza, 10 anos, aluna do 5º ano  da Escola Joaquim Martins de Souza, do Município de Ocara-CE.



Resenha de Ray de Lima do Nascimento

O período escolar nunca é fácil, seja pelas dificuldades inerentes de aprendizado aliado à pressão em não ser reprovado ou mesmo pelo convívio com completos desconhecidos, sem os mimos típicos da vida em família. Independente dos problemas enfrentados, trata-se de um imenso aprendizado sobre como se comportar em sociedade, para o bem e para o mal. Extraordinário, adaptação do livro homônimo escrito por R.J. Palacio, aborda exatamente esta questão, potencializada pelo protagonismo de um garoto de 10 anos que, devido a deficiências de nascença, passou por 27 cirurgias plásticas - o que, inevitavelmente, gera reflexos na forma como é encarado por todos à sua volta. 

Em uma realidade tão complexa, rodeada por todo tipo de preconceito, chama a atenção como o livro - e, consequentemente, o filme - busca alguns confortos a seu personagem principal: o núcleo familiar absolutamente acolhedor, sem grandes atritos entre seus integrantes, e um certo tom lúdico com base em um adorado ícone universal: Star Wars. Como não abrir um sorriso ao ver aquela criança de olhar tão tristonho a cada novo encontro com Chewbacca? Com habilidade, Palacio - e os roteiristas do filme, Steve Conrad, Jack Thorne e o próprio diretor Stephen Chbosky - encontraram um meio-termo entre a dor e a felicidade que, personificado em uma criança, comove. Mas não é só. 

Por mais que seja um filme claramente emotivo - mas sem cobrar o choro do espectador, é bom deixar claro -, Extraordinário se apropria de certos maniqueísmos típicos nesta busca pelo coração do espectador. Se o elo emocional com cachorros apela para o lado afetivo de cada um e a própria conjuntura em torno do garoto é milimetricamente calculada de forma a não gerar ruídos ao tema principal, é difícil resistir ao carisma e à ternura de Jacob Tremblay como o jovem Auggie. Trata-se de uma escolha precisa que, aliado ao competente trabalho de maquiagem, apresenta um personagem absolutamente encantador, seja nas angústias ou mesmo nos momentos de autoironia. Difícil não se render a ele, ou mesmo a outros dois jovens que o rodeiam: Izabela Vidovic, intérprete da irmã Via, e Noah Jupe, como o amigo Jack Will. 

Neste aspecto, Extraordinário ganha relevância também ao ressaltar a individualidade dos jovens a partir de suas angústias pessoais, por mais que a divisão do filme a partir dos personagens soe um tanto quanto esquemática. Ainda assim, tal diversidade amplia o leque emocional retratado em cena, trazendo ao filme camadas necessárias para evitar um foco excessivo (e desgastante) em Auggie. Por outro lado, é importante também ressaltar que nenhuma das subtramas possui um grande aprofundamento, tendo como objetivo maior trazer mais informações acerca da personalidade do retratado. 

Há ainda Julia Roberts e Owen Wilson, os pais de Auggie. Se ele praticamente reprisa o personagem de Marley & Eu, a partir do já conhecido - e mais uma vez funcional - perfil boa praça, ela é competente ao compor a mãe amorosa e rigorosa, que tenta conciliar aspirações profissionais com a vida em família. Entretanto, o real motivo pela escolha de Julia está em seu marcante sorriso, luminoso sempre que surge em cena.  

Repleto de boas intenções, Extraordinário equilibra bem as mensagens edificantes intrínsecas com o carisma de um bom elenco e uma direção cuidadosa, que dosa com competência e sensibilidade os inevitáveis momentos emocionais de sua trajetória. Bom filme, com boas chances de arrancar uma lágrima do espectador.

Enviado pelo estudante A, 10 anos, aluna do 5º ano  da Escola Joaquim Martins de Souza, do Município de Ocara-CE. 



     PROJETO PETECA LITERÁRIO


Resenhado Do Livro:Extraordinário

Data De Estreia:14.02.2012
Número De página:320 Páginas
Editorial:Dialética
Autor:R.J. Palancio
Aluno:Ray De Lima Do Nascimento
Escola:E.E.F. Joaquim Martins De Souza
Série:8°Ano

Projeto pateca literário:
Resenha do livro: Extraordinário
Aluna: Andressa dos Santos Rodrigues
Escola: E.E.F Joaquim Martins de Souza
Serie: 8°Ano
Distrito: Novo Horizonte_ocara ceara
Esse filme fala de um menino que passou por diversas cirurgias, mas mesmo assim não conseguiu fazer com que sua aparência não chamasse atenção, ficava escondido em casa e só saia com um capacete de astronauta que ganhou de presente até o dia que os pais do menino decidiram que era hora dele enfrentar o mundo real, e o menino começou a ir para a escola a adaptação foi difícil, pois além dos colegas de classe e escola não saberem lidar com a situação, o próprio garoto tinha traumas e se excluía, aos poucos alguns colegas começaram a se aproximar, e diversas situações começaram ajudar para o amadurecimento do garoto.
A motivação que tiramos desse vídeo e que nunca devemos julgar ninguém pela aparência e devemos sempre valorizar a essência de cada um.
O que menos gostei no vídeo foi quando um dos colegas do garoto o julgou por causa de sua aparência e por ter sido educado em casa, e o que mais gostei foi quando o mesmo menino que o julgou por causa de sua aparência foi surpreendido nas aulas ao perceber a inteligência que o garoto possuía. Por isso devemos nos permitir conhecer as pessoas verdadeiramente antes de fazer julgamentos referentes a aparência.
Eu gostei muito desse vídeo e também gostaria muito que todos os alunos lessem e assistissem essa obra!


PROJETO PETECA LITERÁRIO RESENHA DO LIVRO:EXTRAORDINÁRIO
DATA:14.02.2012
NÚMERO DE PÁGINA:320
EDITORA:dialética
AUTOR:R.J.Palácio
ALUNO:Kesley Lima Silveira
ESCOLA:E.E.F JOAQUIM MARTINS DE SOUZA
SÉRIE:5 ANO

RESENHA DO FILME
Começou com um menino chamado Auggie tinha 10 anos ele é muito bom nos esportes adora ciências ele passou por 27 cirúrgias ele foi ver sua primeira escola,o diretor pediu três alunos para mostrar a escola para Auggie,então ele foi ao primeiro dia de aula quando chegou todos mundo olhou para ele com jeito dispensável,sofreu bulling na escola ficou muito triste logo no primeiro dia de aula todos riam dele,no segundo dia de aula ele fez amizade com will  a maior dificuldade foi enfrentar todos na escola por causa de sua aparência aos poucos foi conquistando todos na escola ele nunca teve medo de enfrentar nada.
Resumo da história:é que  podemos ter dificuldades mas ninguém é feio cada um tem seu jeito.




Projeto peteca literário
Data:27/04/2020
Série:4°ano
Aluno: Francisco Nycollas da Silva Mendes
Escola: Joaquim Martins de Souza
Editora: Dialética
Autor: R. J. Palácio
Número de pág:320
Resenha do livro:
Extraordinário
O filme fala de um menino,que era diferente.e no começo ele não se sentia muito bem com isso, porque quando ele chegava no parquinho todos saiam correndo, e todos os adultos ficavam olhando para ele com cara feia.
Então a vida foi passando,tudo foi acontecendo e por fim ele percebeu que ele era uma criança normal.  e já não se importava se as pessoas os vião ele de forma diferente.ele aprendeu que a opinião dos outros não definia quem ele era de verdade. não importa a sua aparência e sim as suas ações


Projeto peteca literário
Data:27/04/2020
Série:8°ano
Aluna:Maria gracielly da Silva
Escola: Joaquim Martins de Souza
Editora: Dialética
Autor: R. J. Palácio
Número de pág:320
Resenha do livro:
Extraordinário
Vamos começar tentando entender, que se agente soubesse o que as outras pessoas passam o mundo não seria assim , onde as pessoas só sabem jugar e jugar os outros, quando o filme começou , eu já havia percebido que o menino não era o único que sofria, por exemplo,sua irmã Ive, quando ela tinha 4 aninhos ela fez um pedido em seu aniversário, de ter um irmãozinho, ela só não sabia que ia se machuca um pouco, mas, ela nunca deixou de está do lado dele, ela sempre se preocupou com ele, ela foi forte pois mesmo sabendo que uma das causas dela estar machucada era pq ele tinha nascido.Quando as aulas dela começaram ela descobriu que várias coisas havia mudado, a sua amiga por exemplo não falava mas com ela e nem por isso ela a jugou , em uma certa parte do filme a amiga dela se arrepende, faz uma ligação e depois de uma peça tudo se resolve e também para melhor resultado ela tá em arranja um namorado.
O menino chamado Auggie  por sua aparência não conseguiu muitas amizades, ele sua magoado no primeiro dia de aula, já no segundo e da a resposta de uma prova de ciências para seu parceiro Jack, a partir desse dia eles viram amigos Jack defende Auggie do bullying, mas acabou o traindo, pois na festa de halloween ele fala mal de Auggie para alguns de seus amigos populares, só que ele não sabia era que Auggie estava escutando e saiu muito triste. No outro dia Auggie  começa a evitar Jack e passa a ser assim por longos dias, durante esse período sem se falarem Auggie conheçe uma amiga nova na qual tenta ajudar Auggie a voltar fala com Jack, alguns dias depois Jack pergunta para nova amiga de Auggie o porque dele não falar mais com ele e tudo que ela diz é "pânico", depois disso Jack começou a refletir um pouquinho e quando a professora anúciou a feira de Ciências ele preferi fazer dupla com Auggie, eles voltam a ser amigos só que dessa vez um trio de amizade, depois de vários acontecimentos chaga a formatura, e todos estão felizes houvindo um belo coro até chegar a hora da fala do diretor para anunciar quem havia ficado com a medalha e para bons sorrisos e finais felizes Auggie ganhou a medalha por ter conquistado corações e por nós mostrar que as vezes só queremos ver a vida por um lado, estamos sempre jugando sem saber o que se passa com a pessoa, a mensagem principal do texto que eu consegui tirar foi a seguinte "Não devemos se importa apenas com o que tá acontecendo com nós, todos nós merecemos aplausos, afinal nós todos enfrentamos grandes batalhas, o mundo se tornaria mas puro se nós tentássemos se colocar sempre nas dores dos outros".



Projeto peteca literário

Resenhado livro: extraordinário

Data de estreia: 14/02/2012

Número de páginas: 320 páginas

Editora: Didetica

Autor: R.J.Palácio

Aluna: Maria Gabriella dos Santos Mendonça

Escola: E.E.F Joaquim Martins de Souza

Série: 6°

 O livro trata de um garoto de 10 anos chamado August que tinha uma síndrome genética (uma deformidade facial) que fez com que ele passasse por 24 cirurgias. Ele  morava com seu pai, Nate, sua mãe, Isabel e sua irmã mais velha, Olivia (via). Ele era um menino muito amado por  sua família e estudou até a quarta série em casa, com sua mãe o ensinando. Na quinta série, ele foi para a escola. No começo foi bem ruim, porque as pessoas olhavam pra ele com preconceito e diziam que se pegassem na mão de August, iriam pegar a "praga"(era como muitos chamavam a deficiência de August). Mas no final, August fez com que todos repensassem esse comportamento.

 Bom, eu amei o livro. Ele fala da história de aceitação e superação. Comparando com a nossa sociedade, ainda presenciamos atos discriminatórios como esse. A sociedade cria um "padrão" físico e de comportamento das pessoa e julga quem não está nesse padrão. Daí gera o preconceito, a discriminação e a intolerância contra todos que não seguem esse padrão "aceitável". Mas o August quebra esse paradigma: apesar de ter essa síndrome e ter passado por várias cirurgias, mesmo suas características físicas não estarem no padrão, no final ele consegue conquistar várias pessoas com sua inteligência, empatia e amizade.
Ocara-CE

PROJETO PETECA LITERARIO

Resenhado livro: Extraordinário
Data de estréia: 14.02.2012
Número de paginas: 320 paginas
Editora: Dialética
Autor: R.J. Palacio
Aluna: Mirelle oliveira de Souza
Escola: E.E.F Joaquim Martins de Souza
Serie: 7º ano
Cidade: Ocara-Ce
Distrito: Novo Horizonte

RESENHA
Esse texto me chamou muito atenção porque fala de um menino que ia fazer o 5 º ano.ele nunca tinha estudado em uma colégio de verdade por isso estava muito apavorado .fico triste em saber que ele nunca estudou numa escola de verdade mais eu sei que ele tem motivo
Cada ano ele passava por uma cirurgia ás vezes grande e pequenas ele ficava doente toda hora por isso seus pais não deixava ir à escola. Achei muito legal nesse texto de saber que sua mãe lhe ensinava em casa. Esse texto e um exemplo para todas as mães já que ele não podia ir a escola mais sua mãe lhe ajudava
Sua mãe era ilustradora dos livros infantis. Gostei muito desse texto, mais tenho críticas também esse texto fala muita coisa sem sentido que não tem nada a ver com o título
O menino também queria ser igual ás outras pessoas ter amigos não ter doença. Mais com um tempo ele foi tendo amizades e ficou mais forte fico muito feliz que nesse texto tenha uma história feliz então foi isso gostei muito.



Projeto Peteca Literário

Resenha do livro: Extraordinário

Data de estréia: 14.02.2012

Número de páginas: 320 páginas

Editora: Dialética

Autor: R.J. Palacio

Aluna: Cicera Cibele Pereira da Costa

Escola: Joaquim Martins de Souza

Série: 9º ano



O garoto Auggie Puman nasceu com uma deficiência conhecida como a Síndrome de Treacher Collins que afeta sua aparência e por isso usa um capacete de astronauta. Passou por várias cirurgias para melhorar seu cotidiano, sua vida.

         Nos primeiros anos escolares, ele estudou em casa, mas na segunda fase do ensino

Fundamental, seus pais resolvem colocá-lo em uma escola. Onde sofreu muito com bullyng, tornando a adaptação mais difícil.

Mesmo assim com dificuldade, Auggie faz amizade com Jack Will um colega da mesma classe. Na festa de hallowen vem a decepçao, escuta Jack falando mal dele para Jullyan que é um garoto mimado e preconceituoso.

         Com um tempo Auggie faz amizade com Summer e com várias outras crianças, também faz as pazes com Jack e voltam a ser bons amigos.

         Esse filme tem um tema atual em que mostra algumas situações infantis e adolescentes como o sofrimento com o bullyng e a decepção nas amizades. Em alguns momentos, praticam o bullyng, agindo de forma malvada, sem pensar, em outros, sofrem com ele, o preconceito, a vergonha e o medo.