domingo, 31 de maio de 2020

O MISTÉRIO DA FÁBRICA DE LIVROS (Resenha de Joao Victor Souza Veras)


O livro relata a história de uma menina chamada "Laurinha" começa com a história do seu primeiro amor, Adriano também fala de várias etapas na produção de um livro. Laurinha logo depois da escola vai até um bosque, lá tinha uma das suas melhores lembranças onde Adriano desenhou com um canivete as iniciais (A e L) dentro de um coração com uma flecha atravessada ele apresentou Laurinha com uma árvore de eucalipto e desde então passou a ser seucalipto.


Laurinha começou a sonhar com aquele momento a qual jamais iria esquecer, teve a grande decepção que seu amor encontrou outra pessoa com as mesmas iniciais logo a menina pensou que ele daria seucalipto para a menina, Laurinha saiu correndo a procura da árvore,e quando  de repente chegou no bosque encontrou troncos e pilhas de madeira a menina muito assustada não precisou procurar muito na primeira pilha encontrou o seucalipto, com as iniciais lado a lado.


Os homens que derrubaram todas aquelas árvores volaram do almoço Laurinha dirigiu- se a eles e perguntou .


— Porque vocês derrubaram todas essas árvores?


Eles responderam:

— as árvores foram derrubadas para fazer papel e para uma árvore cortada duas eram plantadas e que também eram para ser feito lápis, papéis e até mesmo borrachas.


A menina muito curiosa foi conhecer a fábrica de livros. Chegando lá conheceu o senhor Wilson ela lhe fez um pedia a qual que  queria que ele fabricase um livro para ela e com o papel q ele acabaria de receber!, Mas o homem explicou a menina q ele não fabricava livros e q isso era um mistério.


Então seu Wilson pediu para ela fazer o texto do seu livro e que ele iria mostrar para um colega, para fazer um livro ela iria precisar de uma gráfica e uma editora ela seguido em frente e iria precisar de um autor.


Laurinha seguiu em frente e lá estava o escritor para seu livro a menina contou tudo para o senhor o que havia acontecendo com ela falou do seu primeiro amor e do seucalipto o escritor ficou espantado e em fim Laurinha tinha seu livrinho quase feito agora pressisaria de um ilustrador o homem pegou seus materiais de pintura e não levou muito tempo e ela também tinha seus desenhos em mão.

A menina conheceu mais uma magia a dos computadores como cada letra era colocada nos livros página por página e a menina também queria entender como era que tirava foto do livro e  ficou muito curiosa mais seu amigo  explicou que o nome era fotolitos logo a menina descobriu que tem que sujar os papéis de tinta para eles serem imprimidos e ilustrados e vivam os livros quase terminando faltava apenas dobrar, costurar e colar a menina fez tudo isso com a ajuda de suas colegas. Livro feito Laurinha agradeceu seus amigos e Laurinha abraçou o livro como se fosse seu primeiro amor e percebeu a que era seucalipto que estava em suas mãos. 

Laurinha correu para a casa de Adriano mais teve uma decepção quem a recebeu foi Lúcia a Laurinha saiu correndo e deixou o livro cair, Adriano leu o livro e foi atrás de Laurinha e lhe explicou que Lúcia era sua irmã  a menina percebeu que  nunca que  tinha acontecido nada e que tudo isso era feito de sua imaginação. E assim o livro termina.

Indico o livro para todo o público livro ótimo amei bem diferente recomendo

Joao Victor Souza Veras tem 13 anos e estuda o 8º ano do Ensino Fundamental na Escola Antônio de Souza Barros, no Município de Ararendá-CE.



O Mistério da Fábrica de Livros (Pedro Bandeira)

Resenha de João Victor Souza Veras*

O livro relata a história de uma menina chamada "Laurinha" começa com a história do seu primeiro amor, Adriano também fala de várias etapas na produção de um livro. Laurinha logo depois da escola vai até um bosque, lá tinha uma das suas melhores lembranças onde Adriano desenhou com um canivete as iniciais (A e L) dentro de um coração com uma flecha atravessada ele apresentou Laurinha com uma árvore de eucalipto e desde então passou a ser seucalipto.


Laurinha começou a sonhar com aquele momento a qual jamais iria esquecer, teve a grande decepção que seu amor encontrou outra pessoa com as mesmas iniciais logo a menina pensou que ele daria seucalipto para a menina, Laurinha saiu correndo a procura da árvore,e quando  de repente chegou no bosque encontrou troncos e pilhas de madeira a menina muito assustada não precisou procurar muito na primeira pilha encontrou o seucalipto, com as iniciais lado a lado.


Os homens que derrubaram todas aquelas árvores volaram do almoço Laurinha dirigiu- se a eles e perguntou .


— Porque vocês derrubaram todas essas árvores?


Eles responderam:

— as árvores foram derrubadas para fazer papel e para uma árvore cortada duas eram plantadas e que também eram para ser feito lápis, papéis e até mesmo borrachas.


A menina muito curiosa foi conhecer a fábrica de livros. Chegando lá conheceu o senhor Wilson ela lhe fez um pedia a qual que  queria que ele fabricase um livro para ela e com o papel q ele acabaria de receber!, Mas o homem explicou a menina q ele não fabricava livros e q isso era um mistério.


Então seu Wilson pediu para ela fazer o texto do seu livro e que ele iria mostrar para um colega, para fazer um livro ela iria precisar de uma gráfica e uma editora ela seguido em frente e iria precisar de um autor.


Laurinha seguiu em frente e lá estava o escritor para seu livro a menina contou tudo para o senhor o que havia acontecendo com ela falou do seu primeiro amor e do seucalipto o escritor ficou espantado e em fim Laurinha tinha seu livrinho quase feito agora pressisaria de um ilustrador o homem pegou seus materiais de pintura e não levou muito tempo e ela também tinha seus desenhos em mão.

A menina conheceu mais uma magia a dos computadores como cada letra era colocada nos livros página por página e a menina também queria entender como era que tirava foto do livro e  ficou muito curiosa mais seu amigo  explicou que o nome era fotolitos logo a menina descobriu que tem que sujar os papéis de tinta para eles serem imprimidos e ilustrados e vivam os livros quase terminando faltava apenas dobrar, costurar e colar a menina fez tudo isso com a ajuda de suas colegas. Livro feito Laurinha agradeceu seus amigos e Laurinha abraçou o livro como se fosse seu primeiro amor e percebeu a que era seucalipto que estava em suas mãos. 

Laurinha correu para a casa de Adriano mais teve uma decepção quem a recebeu foi Lúcia a Laurinha saiu correndo e deixou o livro cair, Adriano leu o livro e foi atrás de Laurinha e lhe explicou que Lúcia era sua irmã  a menina percebeu que  nunca que  tinha acontecido nada e que tudo isso era feito de sua imaginação. E assim o livro termina.

Indico o livro para todo o público livro ótimo amei bem diferente recomendo

Joao Victor Souza veras tem 13 anos e estuda o 8º ano do Ensino Fundamental na Escola Antônio de Souza Barros, no Município de Ararendá-CE.


O Mistério da Fábrica de Livros (Pedro Bandeira)

Resenha de João Victor Souza Veras*


O livro relata a história de uma menina chamada "Laurinha" começa com a história do seu primeiro amor, Adriano também fala de várias etapas na produção de um livro. Laurinha logo depois da escola vai até um bosque, lá tinha uma das suas melhores lembranças onde Adriano desenhou com um canivete as iniciais (A e L) dentro de um coração com uma flecha atravessada ele apresentou Laurinha com uma árvore de eucalipto e desde então passou a ser seucalipto.


Laurinha começou a sonhar com aquele momento a qual jamais iria esquecer, teve a grande decepção que seu amor encontrou outra pessoa com as mesmas iniciais logo a menina pensou que ele daria seucalipto para a menina, Laurinha saiu correndo a procura da árvore,e quando  de repente chegou no bosque encontrou troncos e pilhas de madeira a menina muito assustada não precisou procurar muito na primeira pilha encontrou o seucalipto, com as iniciais lado a lado.


Os homens que derrubaram todas aquelas árvores volaram do almoço Laurinha dirigiu- se a eles e perguntou .


— Porque vocês derrubaram todas essas árvores?


Eles responderam:

— as árvores foram derrubadas para fazer papel e para uma árvore cortada duas eram plantadas e que também eram para ser feito lápis, papéis e até mesmo borrachas.


A menina muito curiosa foi conhecer a fábrica de livros. Chegando lá conheceu o senhor Wilson ela lhe fez um pedia a qual que  queria que ele fabricase um livro para ela e com o papel q ele acabaria de receber!, Mas o homem explicou a menina q ele não fabricava livros e q isso era um mistério.


Então seu Wilson pediu para ela fazer o texto do seu livro e que ele iria mostrar para um colega, para fazer um livro ela iria precisar de uma gráfica e uma editora ela seguido em frente e iria precisar de um autor.


Laurinha seguiu em frente e lá estava o escritor para seu livro a menina contou tudo para o senhor o que havia acontecendo com ela falou do seu primeiro amor e do seucalipto o escritor ficou espantado e em fim Laurinha tinha seu livrinho quase feito agora pressisaria de um ilustrador o homem pegou seus materiais de pintura e não levou muito tempo e ela também tinha seus desenhos em mão.


A menina conheceu mais uma magia a dos computadores como cada letra era colocada nos livros página por página e a menina também queria entender como era que tirava foto do livro e  ficou muito curiosa mais seu amigo  explicou que o nome era fotolitos logo a menina descobriu que tem que sujar os papéis de tinta para eles serem imprimidos e ilustrados e vivam os livros quase terminando faltava apenas dobrar, costurar e colar a menina fez tudo isso com a ajuda de suas colegas. Livro feito Laurinha agradeceu seus amigos e Laurinha abraçou o livro como se fosse seu primeiro amor e percebeu a que era seucalipto que estava em suas mãos. 

Laurinha correu para a casa de Adriano mais teve uma decepção quem a recebeu foi Lúcia a Laurinha saiu correndo e deixou o livro cair, Adriano leu o livro e foi atrás de Laurinha e lhe explicou que Lúcia era sua irmã  a menina percebeu que  nunca que  tinha acontecido nada e que tudo isso era feito de sua imaginação. E assim o livro termina.

Indico o livro para todo o público livro ótimo amei bem diferente recomendo

Joao Victor Souza veras tem 13 anos e estuda o 8º ano do Ensino Fundamental na Escola Antônio de Souza Barros, no Município de Ararendá-CE.

segunda-feira, 18 de maio de 2020

18 DE MAIO: DESAFIOS DA REDE DE PROTEÇÃO PARA PREVENIR A VIOLENCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM TEMPOS DE PANDEMIA


Neste 18 de maio milhares de profissionais da rede de proteção de o Brasil estão engajados na campanha Faça Bonito, que tem por objetivo prevenir e combater a violência sexual contra crianças e adolescentes. Apesar de todos reconhecerem essa atrocidade como uma grave violação dos direitos humanos de crianças e adolescentes, ainda são assustadores os dados estatísticos da violência sexual no Brasil,  principalmente nas modalidades abuso e exploração sexual, que correspondem, respectivamente,  a 80% e 20% do problema, aproximadamente.
O abuso e a exploração são espécies do gênero violência sexual. O que os  diferencia é o fato de haver, no segundo crime, uma relação de troca, em que vítima, ou um intermediário, recebe do explorador algum pagamento ou promessa de pagamento em dinheiro, presentes, viagens, ou outro bem ou serviço.

Sobre o abuso sexual, o combate é mais difícil porque a maioria dos abusadores conviverem com as vítimas, impedindo-as de denunciarem o crime com ameaças e/ou violências físicas, morais e psicológicas. Nesse período de pandemia, o problema ainda é mais grave, pois os abusadores ficam mais tempo com as crianças. Na maiorias dos casos, são pais, padrastos, avós, irmãos, tios, primos, dentre outros parentes, além de vizinhos e amigos. Embora a maioria sejam meninas, muitos meninos fazem parte dessa estatística das vítimas. No tocante aos abusadores, a grande maioria é do sexo masculino, mas também há muitos registros de mulheres que praticam esse crime.
Quanto à exploração sexual é preciso destacar que, além de ser crime, é também uma das piores formas de trabalho infantil previstas na Convenção 138 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e no Decreto n° 6481/2008. 
Diante das alarmantes estatísticas de violência sexual, e das dificuldades enfrentadas pela rede de proteção para combater esse mal, principalmente nesse período de pandemia, em que as políticas públicas, programas, projetos e ações de promoção dos direitos e de combate às violações desses direitos se encontram limitados, é cada vez mais necessário trabalhar as ações de prevenção, através da conscientização das crianças, adolescentes e suas famílias, para identificar os sinais de violências sexual, pois muitos ainda não conseguem perceber alguns comportamentos e atitudes caracterizadoras do abuso sexual.
Com esse objetivo, o Ministério Público do Trabalho (MPT) vem realizando, através do Programa de Educação contra a Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Peteca), constantes ações de  mobilização e capacitação da rede de proteção para prevenir e combater a violência o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes, em parceria com a Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará (APDMCE), Estado do Ceará e seus municípios, através das Secretarias de Educação, Assistência Social, Saúde, Conselhos Tutelares e Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente, além do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e dos Comitês de Adolescentes pela Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil, dentre outros órgãos do Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente. 


sábado, 16 de maio de 2020


DESAFIO PETECA LITERÁRIO

ESCOLA ANTÔNIO JULIÃO NETO

ALUNA: JOANE TEXEIRA GOMES

7º ANO A

PROFª: SOLANGE GONZAGA

RESENHA : O CASO DA BORBOLETA ATÍRIA DE LÚCIA MACHADO DE ALMEIDA  

 

    O livro conta as aventuras vividas por uma frágil borboleta numa mistura de fábulas com conto de fadas e muito mistério. Tudo começa com o processo de metamorfose da borboleta Atíria, que não conseguia voar muito bem por causa de um defeito na asinha. Uma Jitiranoboia que a observava, ficou com pena daquela frágil e indefesa criatura e resolveu adotá-la.  Atíria gostava muito de ajudar as pessoas, era bondosa, amorosa e não tinha maldade.

     Tudo ocorria bem na floresta até que as noivas do príncipe grilo (Helicônia e Vanessa) sumiram misteriosamente. O detetive Papílio começou a investigar o acontecimento e não conseguia descobrir nada porque Caligo, que estava sempre com ele se fingindo de amiga, dificultava as coisas. Nessas viagens pela floresta o príncipe conheceu Atíria e ficou encantado. Então ela começou a ser perseguida por Caligo que queria acabar com ela, o príncipe e tomar o reino. Numa tarde, ao voltar do hospital onde  tinha ido visitar os doentinhos, Atíria caiu nas armadilhas na terrível Caligo, que levou a coitada para uma gruta cheia de perigos e inimigos violentos.

     Ao mesmo tempo, o detetive Papílio já tinha descoberto várias pistas da culpada do sumiço de Helicônia. Vanessa contou para o príncipe Grilo e, na mesma hora, ele reuniu todos os insetos para ir punir a malvada. Com muitas dificuldades entraram na gruta e enfrentaram inimigos assustadores como: lagarta de fogo, tarântulas, lacraias, plantas carnívoras, mas no final o bem venceu. Podemos tirar um ensinamento para nossas vidas: Os seres humanos também fazem mal aos outros, por isso devemos ter cuidado com quem confiamos.


terça-feira, 12 de maio de 2020

O Ministério da Fábrica de Livros - Resenha de Luana da Silva Souza

Laurinha estava no bosque triste chorando pois foi ali que aconteceu seu primeiro beijo, com seu primeiro amor. O choro, porque a árvore de eucalipto onde estavam gravados as iniciais de seus nomes A e L (Adriano e Laurinha) foi cortada. A procura de uma explicação, ela encontra um homem, que conta que essas madeiras seriam transformadas em papel, então ele levou-a para conhecer a fábrica. Chegando lá Aurélio mostrou a Laurinha toda a fábrica e o processo de fabricação do papel.  No final da visita, ela resolve escrever um livro, e então ela é encaminhada a um autor, que escreve sua história e depois a um ilustrador, que fez imagens maravilhosas para o livro. Quando tudo estava pronto, ela escolheu as formas do livro e tamanhos. Após as impressões, Laurinha decide ir entregar um livro para Adriano, mas quando chega na casa dele, quem abre a porta é Lúcia, e então, imaginando coisas erradas, ela deixa o livro cair e sai chorando. No dia seguinte, na escola, Adriano explica para ela que Lúcia é sua irmã. Toda envergonhada ela pede desculpas, e ganha um beijo.
Projeto Peteca Literário. Resenha do Livro O Ministério da Fábrica de Livros, de Pedro Bandeira, por Luana Da Silva Souza , 16 anos , aluna do 9º ano da Escola de Ensino Fundamental Geraldo Gonçalves do Nascimento Júnior, do Município de Senador Pompeu-CE.